Sobre mim

A minha foto
Linda-a-Velha, Lisboa, Portugal
Comecei a imaginar e criar a decoração dos meus bolos depois de algumas desilusões com bolos comprados em pastelarias. Nunca me achei uma pessoa especialmente criativa, mas com o incentivo e carinho das pessoas que me rodeiam, essa realidade mudou. Gosto de cozinhar tudo, embora as sobremesas sejam o que me dá mais prazer e gosto de um resultado final impecável A arte de satisfazer o estômago alheio ainda não é uma actividade a tempo inteiro, mas um dia, certamente, será!

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Coisas que me fazem feliz


Adoro este tipo de exercício :)
Faz-nos encarar a nossa vida de uma forma mais positiva. Mesmo que as coisas não aconteçam há muito tempo, o que é certo é que aconteceram e por isso é que sabemos que gostamos!
Vi aqui e não resisti a copiar. (Sou macaquinha de imitação, já sei!!)

Um sorriso pela manhã. Um encontro inesperado. As minhas filhas a dançar. Conduzir o meu carro (na cidade não, claro!). A praia do malhão. Vestir roupa nova. Vestir-me de preto. Ir ao teatro ou ao cinema. Pessoas genuinas e genuinamente simpáticas. Decorar bolos. Ouvir uma música que já não ouvia há anos. Almoços prolongados. Estar descontraida. Ter razão. Fazer puzzles. Tatuagens com significado. Olhar nos olhos. Caminhar. Croissants (os de Alcântara ainda são os melhores). O som do mar. Neve. Quando sei que me compreendem. Ovomaltine quentinho. Apanhar laranjas em casa da Avó Lurdes. Lagartos de limão. A voz do Freddy Mercury. Saber que gostam de mim. Comida caseira. Ponto cruz. Ter tempo. Dias de Sol. Pessoas disponíveis e com paciência. Abraços apertados. Alfeizerão. Olhar para o relógio e saber que ainda posso dormir mais. Fazer uma receita nova. Saber que confiam em mim. O saco de água quente. Gelados. Fazer amor. Conversar pela madrugada fora. Chocolate (muito). Quando as minhas filhas me dão a mão sem eu pedir/obrigar; quando me dizem: "Mãe, és linda". Receber amigos e fazer grandes jantaradas. Vila Nova de Milfontes. Olhares cumplices. Ler ou reler um livro que gosto. A foz do Mira. Chinchar (vulgo, roubar fruta de propriedades alheias). Pastéis de massa tenra. Ver pardais a saltitar. O café do Grant. Rir (muito). Beijos. Comprar uma refeição quente a quem vive na rua. Adormecer enroscada. Barcelona. Saber que se preocupam comigo. Cantar (muito) alto no carro. Massagens. Mergulhar no mar. Bairro Alto. Aprender. Elogios. O cheiro do protector solar. Petiscos. Pensar em sítios para conhecer. Amizades inesperadas. Fazer bolos, biscoitos e bolachas. Emocionar-me em jogos da selecção. Pizza na Brasa. A primeira chuva de Outono que deixa aquele cheirinho a terra molhada... Chá. Ir buscar ovos à capoeira. Matar saudades. Cerelac, Nestum e Maizena. Falar horas ao telefone (quase 3h com a Bia - saudades amiga!). Andar de baloiço. Ir ao Transmission. As gargalhadas das minhas filhas. Limpar o meu armário e dar a roupa que já não visto. Moscatel fresquinho. Assistir às aulas de natação e ballet. O verde e o azul do Alentejo. Beber chocolate quente. Quando digo uma piada mesmo com piada. Saber que vai ficar tudo bem. SMS com bolinha. Quando falo portinhol e me percebem. Tirar fotografias. Dias de chuva com boa companhia. Acampar. Ler um mapa com sucesso(!!). Querer aprender a costurar, a fazer malha e crochet. Redes de baloiço. Paisagens bonitas. Ouvir dizer que a minha comida está óptima. Trabalhar mesmo em equipa. Planear as férias. Estudar. Brindar. Quando adivinham o que estou a pensar. Festa do Avante. Perceber tudo com um olhar. Eça de Queirós, Florbela Espanca e Antero de Quental. Ver Lisboa do avião à chegada. O cheiro do Outono (olhá castanha assada!!). O Chiado. Um concerto de Xutos. O Stravaganza. Uma bola de berlim com creme depois de um mergulho no mar. Confiar cegamente. O Alentejo e o Minho. Sobrevoar os Alpes cheinhos de neve. Duches a escaldar. Cantar a música do Vitinho todos os dias. Lençóis e toalhas lavados. Comédias (romanticas). Ir a um concerto de Moonspell. O Sol de Inverno a aquecer-me a cara. Apaixonar-me e ser correspondida. Sentir a chave na porta.

É assim a vida...

3 comentários:

GM disse...

Uff...isto de ler quase de uma golfada só deixou-me estonteada..
tantas coisas fixes, muitas das quais eu identifico-me completamente. Sabes... gosto do teu blog com estes pequenos excertos do dia-a-dia e não só sobre bolos. Keep it Up!

essa do saco da água quente. fez-me rir... sim alguém como eu que gosta dos seu saco de água quente :)

Anónimo disse...

Onde e que esta a linha p'ra se assinar por baixo. Tants sao as coisas com que me identifico, principalmnte as de Lisboa, do meu lindo e amado Alentejo (sou lisboeta de nascenca e alentejana de coracao)e a das minhas filhas.
Beijinhos.
Aprendiza de Cozinheira

Anónimo disse...

Como me deu uma vontade súbita de me enroscar em todas as sensações boas que senti despertar ao correr da tua prosa. Como foi bom trazer à memória pequenos nadas de pura felicidade. Que saudades bateu da tua ausência e da mais valia que a tua presença trazia aos meus dias.
Obrigado por continuares a partilhar esse lado bom.
Paula