Sobre mim

A minha foto
Linda-a-Velha, Lisboa, Portugal
Comecei a imaginar e criar a decoração dos meus bolos depois de algumas desilusões com bolos comprados em pastelarias. Nunca me achei uma pessoa especialmente criativa, mas com o incentivo e carinho das pessoas que me rodeiam, essa realidade mudou. Gosto de cozinhar tudo, embora as sobremesas sejam o que me dá mais prazer e gosto de um resultado final impecável A arte de satisfazer o estômago alheio ainda não é uma actividade a tempo inteiro, mas um dia, certamente, será!

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Este texto não foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não é bem para isto que serve o meu blog, mas a necessidade é a mãe de todas as artes. Sendo eu portuguesa a necessidade é mãe de todo o tipo de "desenrascanço".
E esta publicação de hoje serve de desabafo, porque estou farta de tudo, tão fartinha e por tudo entenda-se das notícias, que são invariavelmente más e é nos noticiários que aparecem os nossos governantes engravatadinhos, engomadinhos e penteadinhos a mandar-nos à m**da com um saco roto, farta do trânsito, onde as pessoas mostram as pessoínhas que realmente são, farta de um colega em particular, que chega às 9 da manhã já a soprar e com tanto sopro e incompetência e mesquinhez torna o dia dos outros absolutamente insuportável, farta de quem não diz com licença, se faz favor e obrigado, farta da má vontade, farta de quem não tem hábitos de higiene e se acha no direito de partilhar o autocarro com quem tem, farta de ver criaturinhas cuspir e a deitar para o chão o papel da pastilha e a comentar com o amigo do lado que lá fora é que é bom porque não há nada desta badalhoquice e as pessoas são civilizadas. Não há palavras que cheguem para deitar cá para fora esta coisa visceral que sinto hoje... Que tenho vindo a sentir...


Mas voltando às notícias: crise e mais crise, troika e mais troika. Já ninguém aguenta! A subida de preços semanal deixa qualquer um de rastos, a mim deixa-me pelo menos, por isso quero deixar o meu contributo para um dia-a-dia mais feliz, embora continue a não entender como é que casais com crianças possam sobreviver com ordenados mínimos, porque não há cabaz de compras que caiba num ordenado mínimo, nem jardim de infância, nem conta do gás, nem da luz...
Eu não recebo o ordenado mínimo e no entanto, sem ser para luxos ainda dependo dos meus pais e já saí de casa há 14 anos!!!


Poupar é a palavra de ordem, por isso cá vão as sugestões:


- Uma vez que de repente a minha conta da água subiu 10 Eur, cá em casa passou a imperar a regra de guardar a água de aquecer o banho que depois se usa para despejar o autoclismo ou para regar. A água potável no nosso planeta não é ilimitada, por isso esta é uma medida 2 em 1.
- Ter controle absoluto do meu dinheiro. Muitas vezes pagar com o cartão pode fazer com que se perca um pouco a noção de quanto já se gastou, por isso aqui fica uma bela ferramenta, que adoptei há vários meses. Neste blog cliquem em calculadora de despesas e maravilhem-se.
- Aproveitar todos os restinhos de comida, por exemplo o molho de tomate das almondegas serve para mais tarde escalfar uns ovinhos, que ficam uma maravilha! Fazer refeições de tacho ou forno também ajuda porque rendem imenso.


São estes alguns exemplos da "ginástica" diária cá por casa.
Agora deixo-vos com um apontamento musical.


1 comentário:

Guima disse...

Gostei, identifico-me e subscrevo... Ora toma lá mais um kilinho!!!