Sobre mim

A minha foto
Linda-a-Velha, Lisboa, Portugal
Comecei a imaginar e criar a decoração dos meus bolos depois de algumas desilusões com bolos comprados em pastelarias. Nunca me achei uma pessoa especialmente criativa, mas com o incentivo e carinho das pessoas que me rodeiam, essa realidade mudou. Gosto de cozinhar tudo, embora as sobremesas sejam o que me dá mais prazer e gosto de um resultado final impecável A arte de satisfazer o estômago alheio ainda não é uma actividade a tempo inteiro, mas um dia, certamente, será!

domingo, 11 de março de 2012

Anita no Oeste

Óbidos, terra do chocolate durante este mês!
Fui pela primeira vez ao festival do chocolate. Arrisquei manguita curta pela primeira vez também este ano e fiz bem, Sábado foi dia de calor abrasador, pelo menos no Oeste!
À feira chegámos cedo, no entanto a fila para a bilheteira já tinha uns 30 metros!! Fui ao posto de turismo perguntar se não havia outra bilheteira junto ao Castelo, como é hábito haver na Feira Medieval. Há, foi a resposta.
(Quero pedir, desde já, as minhas mais sinceras desculpas à senhora do posto de turismo por eu não ter nascido alta e loira e falar outra língua, porque me pareceu que era critério para a distribuição de simpatia. Mesmo assim não posso deixar de me sentir feliz por ter evitado a tão tradicional lambidela no traseiro por parte dos operadores turísticos deste país!!!!!)
Chegados à outra bilheteira tínhamos uma pessoa à frente :D
Entrámos.
Começámos pela ponta onde estavam as esculturas de chocolate. Trabalhos magníficos!
Votei no palácio da Bela Adormecida :) Mas também gostei muito dos Piratas e do Nemo.
Mais à frente vimos as pinturas faciais, as miúdas pintaram-se e tive pena de se ter formado uma fila grande de crianças à espera, porque senão quem também se tinha pintado tinha sido eu!
Andámos mais um pouco, a fila para os balões do Mickey já era extensa por isso passámos à frente. Adorei as montras, no entanto em frente à montra do Tio Patinhas disse uma alarvidade de todo o tamanho!!! O Tio Patinhas demorou 750 horas a ser feito e a minha alarvidade foi: "750 horas para fazer esta trampa??" Enfim... Saiu sem pensar, foi uma observação estúpida, principalmente porque a escultura estava espectacular!!!!
Demos mais umas voltinhas e pic-nicámos. Depois do almoço não havia nada de nada para fazer, tinha havido uma demonstração às 10h e a próxima era só às 15h. Suponho que numa feira destas as iniciativas teriam que ser mais frequentes. Sentámo-nos à sombra e comemos bombocas.
Na zona destinada às crianças era impossível as crianças brincarem porque havia adultos (sem crianças) nos baloiços, nas casinhas, etc... Um baloiço acabou mesmo por ficar danificado pelo peso dos ocupantes!!!
Fomos embora, o calor era abrasador e ainda eram só 14h.
Pelo que tinha ouvido dizer e pelas notícias, sempre achei que o Festival do Chocolate era enorme, com eventos a toda a hora, mas não é bem assim. Para quem quiser ficar o dia inteiro para assistir às demonstrações, aconselho que leve um baralho de cartas para se entreter.
Não deixa de ser uma excelente iniciativa e os produtos lá vendidos eram muito bons e alguns bastante originais, de notar a sangria de chocolate :P
Agora é ir ao C.C. da Portela e comprar uns bombons artesanais de aspecto delicioso e que acabámos por não comprar no Festival!!
Foi um dia arejado e despreocupado e cada vez mais presente está a vontade de me enfiar numa escola de hotelaria e turismo... Haja dinheiro para os mil planos que voam pela minha cabecinha!!
Sai um 1º prémio do euromilhões para a mesa do canto!

sexta-feira, 2 de março de 2012

Torre Pizza

Terça-feira de Carnaval acordei tarde e com uma preguiça fora do normal até para mim!
Resolvi fintar o orçamento e fomos almoçar fora.
Há algum tempo que tínhamos curiosidade em relação ao restaurante italiano da Rua Vieira Portuense, em Belém.
Podia morrer curiosa, a sério!
O restaurante não vale nada, não tem mesmo ponta por onde se lhe pegue.
Julgo que o facto de se manter de portas abertas se prende com o facto de  90% dos clientes serem turistas e só lá irem uma vez na vida.

Vou apontar as minhas reclamações por tópicos:

- 5 minutos especados dentro do restaurante a observar o vai e vem dos empregados sem que nenhum nos dirigisse a palavra;
- as mesas não tinham toalhas, mas sim corre mesas que estavam pejados de nódoas;
- a parede à qual estava encostada a mesa tinha restos de comida e nódoas de vinho;
- os empregados eram ou antipáticos ou ineficientes e pelo menos um servia à mesa com roupa da moda, ou seja com as calças extremamente descaídas e rasgadas (o rapazito teve, pelo menos o bom gosto de vestir boxers pretos!!!);
- o gerente tinha um ar encardido, e a meio do serviço a falar com um empregado soltou um: “’Tou-ma cagar pâ isso” no meio da sala;
- a comida estava salgada e alguns pratos foram servidos queimados;
- a salada não era salada, para mim era kunami ou maracaté!!!
- a sopa salvo erro parecia instantânea ou então puré de batata muito líquido com umas folhinhas dentro;
- os pratos não foram para a mesa ao mesmo tempo, sendo que a minha filha mais velha foi servida quando estávamos quase a pedir a conta;
- o disjuntor estava constantemente a disparar; as paragens quase constantes do sistema de extracção fizeram com que a sala, a certa altura, ficasse com uma ligeira névoa e um cheiro horrível a óleo queimado.

No final apontámos algumas destas coisas ao empregado que foi levantar a mesa e prometo que na próxima vez que me der a preguiça, faço uns ovos mexidos!!